Sexta-feira, 21 de Janeiro de 2005

MAR SENHOR DO MUNDO

Mar meu...
Mar imenso
Mar profundo
És o senhor do mundo
Altivo sublime e sedutor.
A beleza deslumbrante
És um admastor fascinante
Impotente e assustador.

Quando estás adormecido
Nunca perdes o sentido
Da tua autoridade
És severo e inconstante
E revelas a cada instante
A tua agressividade.

Levas tudo à tua frente
E matas cobardemente
De nada te compadeces
Na tua grandiosidade
Escondes tanta crueldade
Com os humanos te pareces.

Os poderosos deste mundo
São como o mar profundo
No prazer de dominar
Escravizam a humanidade
Com tirania e crueldade
São mais falsos de que este mar...


João Miranda
publicado por João Miranda às 19:42
link do post | comentar | favorito
|
1 comentário:
De Anónimo a 21 de Janeiro de 2005 às 20:57
Qual gradioso são os poetas pela arte que traz de
transmitir o natural e sobre natural de maneira sóbrea e fenômenal.
Quero te dizer que foste muito feliz quando da comparação do Homem com o Mar, ambos revelando de modo ímpar a sua fúria fulgáz!
Um beijo querido no seu lindo coração!
Profª Dôra
AJU/SE-BrasilDôra
</a>
(mailto:pof_dora@infonet.com.br)


Comentar post