Quinta-feira, 28 de Abril de 2005

CONTIGO UM DIA

O segredo da morte
Está no coração da vida
E trás-me este vento norte
Recordação da partida.

Partida singela e triste
Como quem vai sem dizer
Porque de tudo desiste
E já não quer mais viver.

Morreu e erguer-se nu ao vento
E fundir-se com o mar
E não dar pelo momento
De que nos vêm buscar.

Oh, que saudades meu pai
Um dia iremos nos ver
Sei que a minha alma vai
Contigo sempre viver...


João Miranda
publicado por João Miranda às 21:47
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Terça-feira, 26 de Abril de 2005

HOMEM SEMEIA A BONDADE

Não desanimes
Entre o sol que chega
E a noite que cai.
O tempo é de esperança
Pela verdade expulsa
A mentira e o rancor,
Ilimina o amor
Semeia a bondade
Desperta!

Cresça a felicidade
Entre as rubas flores
Unindo os povos
Num diálogo
Lúcido e profundo
Para bem do mundo
Sem falsas promessas
Sem ódios sem sangue
Sem troar de canhão...


João Miranda
publicado por João Miranda às 21:38
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|

LIBERDADE DE ABRIL

Que recitar ou declamar
Sobre Abril sobre a história?
Que tenho para vos contar
Se Abril foi de glória!
Já tudo foi dito e escrito.

Do país é já memória
Já tudo foi dito e escrito
Tudo foi declamado
Do que foi Abril o grito
Da arma G3 com cravo.
Faz parte da nossa história
E na escola é ensinado.
Revolução pela liberdade
Novo mundo nos foi dado.

Que tenho eu para vos contar
S tudo já foi contado!
Falar dos militares de Abril
Neste país tão mudado?
Falar dos nossos partidos
Que o têm ignorado?
Não!...

Abril são as nossas mãos
Sempre dadas sempre unidas
É a amizade entre irmãos
São as lutas consegudas.

Abril é a nossa vontade
É juventude e mocidade
Abril é servir a terra
Que Abril aos filhos lega.

É de todos quantos dão
Amor e freternidade
No lugar terra nação
Ensinando a liberdade.


João Miranda

publicado por João Miranda às 00:52
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|
Quarta-feira, 20 de Abril de 2005

UMA ESTRELA

Vejo no céu uma estrela
Sinto bem o seu brilhar
Mas fico cheio de pena
Por não a poder apanhar
Colocá-la no teu leito
Enquanto estiveres a sonhar
Se calhar não tenho jeito
Para admirar teu olhar.

Essa estrela és tu meu bem
Que brilhas no meu universo
Porque o teu brilhar é também
Do meu coração um bem.


João Miranda
publicado por João Miranda às 21:42
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
|
Terça-feira, 19 de Abril de 2005

GAIVOTA PERDIDA

Oh semeadora de palavras
Se quisesses no teu chão plantar
Dizias que escrevias...
Ah com gaivotas escrevias
Na água do rio...
Um mar de poesia!
E até queria...
Ser gaivota perdida
Para te encontrar...
Na investida
Dum marinho olhar!...


João Miranda
publicado por João Miranda às 23:36
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

A FORÇA DO DESEJO

Eu gostaria saber dizer
Aquilo que diz a musa
Sem ter a mente confusa
Tudo assim a florescer
Qual aroma a desprender
Daquele perfume que usa
Aquela mulher que abusa
Da bondade do meu ser.

Eu gostaria de saber sentir
O sentimento que sente
O peito da nobre gente
A elevar-se a emergir
Para depois não carpir
Em estalo deprimente
E mostrar-me repelente
Com vontade de fugir.

Eu gostaria de saber amar
Com aquele amor tão puro
Que não se sente inseguro
Nunca e em algum lugar
E pelos ventos enviar
As mensagens do futuro
Das perspectivas que auguro
Deste meu breve passar.


João Miranda
publicado por João Miranda às 01:10
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Quinta-feira, 14 de Abril de 2005

NOITE DE FRIO

Tantos graus negativos!
As mãos arrefecem
A lareira acessa.
Acendo milhões de quimeras
E molda perfis de penumbra
Na poesia da sala adormecida.

O frio chega aos ossos da alma
E propaga-se pelas veias
Em novelos de tormento
E não há lenha que chegue
Para queimar o perfume das flores
Do pensamento.


João Miranda
publicado por João Miranda às 21:59
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|
Segunda-feira, 11 de Abril de 2005

GERAÇÂO DE GRÂNDOLA

Grândola cantou como ele sabia
Era uma homenagem a uma terra
Sonha que iria servir
Uma cantiga desta era.

Traz outro amigo também
Para não esquecer quem nos quer
Amigos que nos querem bem
Quando a luta um dia vier.

Cantigas de Maio
Quem diria o que era a vida
Zeca será sempre lembrado
Nem que seja um só dia.

Fez das suas canções
Uma luta de dia a dia
Zeca não tinha ilusões
Cantar também ajudaria.

Zeca por muitos lados viajou
Cantava para os trabalhadores
Ele sempre cantou
Tivesse saúde ou dores.

Com lembrança e realidade
Uma geração que o poeta não esqueceu
Ouvir música do Zeca com saudade
Para amigos Zeca não morreu.


João Miranda
25-Abril-2002



publicado por João Miranda às 23:48
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Sexta-feira, 8 de Abril de 2005

PORQUE HOJE É SÁBADO

Hoje devorei
Manjares enfeitados
De pétalas
Musicadas
Com exótico sabor.

Porque hoje é sábado
Fui ouvir o cantor.

Hoje agarrei
Melodias etéreas
Lançadas pela garganta
Da orquestra
E pela voz do poeta.

Hoje embalei
A minha noite sem sono
E sem cor
E o meu corpo perturbado
Pelas canções de amor.

E porque hoje é sábado
E porque trouxe comigo
O violino o piano
A guitarra
E atirei uma flor
Guardei em mim
A voz do cantor.


João Miranda
publicado por João Miranda às 03:00
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Quarta-feira, 6 de Abril de 2005

TARDE NAS DUNAS

As dunas infinitamente belas
Com o esplendor do sol
Rendadas de plantas
Espinhosamente brancas e liláses
Rasteirando as areias
Olhei-as de cima do passadiço
Projectado para o mar
As cordas lateralmente a baloiçar
Sinuosas como corpos morenos
Fervilhando de paixões
Milhões de lábios devorando a luz
Olhos rasgados flutuando sobre ondas azuis
Numa profusão de formas
Redondas e macias
Narinas trémulas engolindo odores
De uma gama infinita de protectores
Sobre o lençol celeste
Há braços e abraços
Pernas como tentáculos
Enroscando desejo de sexo derretido
Num lamento levado pelo vento
Ao fim da tarde
E as dunas agora sombreadas
Pelos reflexos do sol poente
Permanecem altivamente
Livres e sós... sempre.


João Miranda
publicado por João Miranda às 22:43
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Abril 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30


.posts recentes

. QUERO AMAR-TE

. ...

. SEM MEDIDAS

. TEU OLHAR

. SE A LUA FOSSE

. SONHEI

. ...

. SÓ UM SONH...

. ...

. SONHO

.arquivos

. Abril 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Abril 2007

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

blogs SAPO

.subscrever feeds