Quinta-feira, 2 de Dezembro de 2004

DOR

Não há fantasma
Que me espante
Nem que passe e me assuste!
Cura ou sentimento
Na pureza te minto!
Não há lua
Que me olhe no espelho
Como olhar nu e cru
Que se transforme noutra lua!
Ai sangrenta dor
Que mereço
Já tudo transparece
Como o fogo e água pura
É o que a vida me reserva
Que só eu sinto
Porque quem peca
Deixar de mim a flor!


João Miranda
07-09-95


publicado por João Miranda às 23:23
link do post | comentar | favorito
|
2 comentários:
De Anónimo a 4 de Dezembro de 2004 às 17:49
Meu amigo Querubim, continuo leitora assídua dos teus poemas e poesias, quanto à comentar, prefiro fazê-lo a vc mesmo...um carinhoso beijo no fundo do seu coraçãofatima
</a>
(mailto:mfatimaconde@hotmail.com)


De Anónimo a 3 de Dezembro de 2004 às 01:10
Está muito bonito, aliás gostei imenso do blog.pauxana
(http://dasletras.blogs.sapo.pt)
(mailto:pauxana@sapo.pt)


Comentar post