Terça-feira, 24 de Agosto de 2004

ALMA

Minha alma é soneto embriagado de amor
E saciada de rubor, roseira em agitação
Agora que o meu corpo é meigo
Agora que todo eu sou lezíria em flor...
Os meus olhos são esmeraldas afogadas
Debaixo de finas rendas de ametista
De onde a minha alma de homem avista
Há rendas de júbilo no meu leito
Como se de brocados o amor fosse feito
Ama-me estonteadamente põe-me louco!!
Brilham ao longe velas e mastros
Beijos teus subindo ao alto como astros
Ao rubro poente da minha boca!
Esta bela miragem!!!


João Miranda
publicado por João Miranda às 01:36
link do post | comentar | favorito
|
1 comentário:
De Anónimo a 24 de Agosto de 2004 às 03:28
Uma delicia de emocao ficou em mim depois de ter lido este poema..........................
Obrigada do fundo do meu ♥..................
Um beijo cheio de carinho* * * *maria* * * *
</a>
(mailto:)


Comentar post