Segunda-feira, 9 de Agosto de 2004

QUERO-TE ASSIM

Quero-te assim
com as palavras
Que falam de nós.
Quero-te assim
Completamente
Nesta corrente
Do rio sem foz.
Quero-te no sonho
Nesta imagem
Das coisas sem voz
Na madrugada
Depois de uma noite
Cansada
E sem fim.
Quero o sossego
Que tens
Para me dares
E quero eu dar-te
Estas palavras
Que já nem sei
Como ofertar.
Quero-te assim
Simplesmente
Como queiras parecer
Flor inventada
Vivida
Magoada
Até alvorecer.
Quero-te assim
Nesta liberdade
De não ser obrigado
A outro querer
Que já não desejo.
Quero-te assim
Na minha vontade
De estar deste lado
Sem ter de ceder
Ao que não prevejo.
Quero-te assim
E só assim
Com as palavras
Que sentindo
Ainda escrevo.


João Miranda
publicado por João Miranda às 21:50
link do post | comentar | favorito
|
1 comentário:
De Anónimo a 19 de Agosto de 2004 às 14:22
Estou lendo todos os teus poemas lindos.... :-)maria
</a>
(mailto:)


Comentar post