Segunda-feira, 2 de Agosto de 2004

MEDITAÇÃO À VIDA

Teu corpo é primavera
Florindo o céu cinzento.

Teus olhos de mar
Espraiam-se nos meus ouvidos
Quando teu despertar
Transforma meu dia rubro
E as gaivotas do pensamento
Esvoaçam a medo nos meus sentidos
Silencio da revolta em que me cubro.

Mas as tuas marés não estão escritas
Na meditação que vou sorvendo
Em teu pálido e nostálgico sorriso
Pequena chama da qual preciso
Para o novo dia que vou vivendo.

Mas também sei que este deserto
Para onde exilas meu corpo
Cansado de te amantizar
Não é o alimento que procuro
Para novo nascer.

Vagabundo vou no escuro
Até tua irmã me levar.


João Miranda
(Dedicado à Célia)
publicado por João Miranda às 22:53
link do post | comentar | favorito
|
2 comentários:
De Anónimo a 3 de Agosto de 2004 às 00:32
Obrigada por ler o meu blog tb expreitei o seu e gosto muito .
Eu sou mais de prosa...mas aprecio imenso a poesia e às vezes vou tentando...mas falta o jeito...

obrigada
Pensadorapensadora
</a>
(mailto:pcap37@hotmail.com)


De Anónimo a 3 de Agosto de 2004 às 00:10
Lindo...lindo...lindo. Sem palavras. BeijinhosLuka
(http://lukadedicaati.blogs.sapo.pt)
(mailto:ALuka2004@sapo.pt)


Comentar post