Terça-feira, 6 de Julho de 2004

SAUDADE

Saudade é um sonho que abana
Saudade é um canto de lágrimas
É como um beijo que geme
Como um suspiro que se evapora.

Saudade é uma coisa que doi
É pranto que na alma fica
É doçura que nos roi
Tristeza que nos consola.

Saudade é ter o coração cheio
De espinhos e desejos
É sentir dentro do seio
Um punhal que nos dá beijos.

Saudade é dormir sem saber onde
Chorar sem saber porquê
Chamar quem não responde
Abraçar quem não se vê.


João Miranda
publicado por João Miranda às 23:09
link do post | comentar | favorito
|
4 comentários:
De Anónimo a 12 de Julho de 2004 às 19:19
Olá João esqueci de dizer que sou a filha da princesa e vim aqui pelo blog dela, viseta o meu tambémDiana
(http://diana.blogs.sapo.pt/)
(mailto:diana_2003@sapo.pt)


De Anónimo a 11 de Julho de 2004 às 13:38
Olá esse poema deixou-me com saudades dos tempos antigos está muito giro boa beijinhos e continuaDiana
(http://diana.blogs.sapo.pt/)
(mailto:diana_2003@sapo.pt)


De Anónimo a 7 de Julho de 2004 às 09:51
Olá João.. lindo poema e a saudade é tudo isso que disseste... Doi muito mesmo... Beijihossafadinhaemuito
</a>
(mailto:safadinhaemuito1@sapo.pt)


De Anónimo a 6 de Julho de 2004 às 23:24
Saudade, a única palavra que não existe em mais nenhuma língua no planeta, senão na portuguesa! Que bem que a soubeste representar! Abraço.jorgebond
(http://tounotop.blogs.sapo.pt)
(mailto:januarioassuncao@sapo.pt)


Comentar post