Quarta-feira, 6 de Julho de 2005

MINHA SOMBRA

Após caminhos primeiros
Tragados da escola à lida
Nas obras de construção e engenheiros
Surge minha sombra erguida.

É também a vez primeira
Que olho a sombra que é minha
Diante de mim duradeira
Altiva precária se tinha.

Ficou hábito de presença
Então jamais me deixou
A noite trás sua ausência
Recolhe a mim de quem sou.

Diferentes caminhos trajados
Sombra minha companheira
Dás aos trabalhos pesados
A forma de brincadeira.

Tens vida de dia luzente
De sol na sua descida
Sombra pareces contente
Sempre perto de fugida.

Ao meu pé longe te mostras
Conforme a claridade
Nas casas e muros te prostas
Sempre a mesma habilidade.

Aos campos te lanças
Sobre a seara e o vento
Magoa-me a esperança
De perder-te a todo o tempo.

Mas eis que saltas de novo!
Num muro margem de estrada
À sombra nada é estorvo
Caminha mesmo prostada....


João Miranda
publicado por João Miranda às 22:16
link do post | comentar | favorito
|
2 comentários:
De Anónimo a 11 de Julho de 2005 às 16:00
Beijinhos muitos para o "meu Poeta lindo"Maria
</a>
(mailto:)


De Anónimo a 7 de Julho de 2005 às 15:15
Em terra de crocodilos.....rssss, e de muito calor, te envio um grande abraco
Maria
</a>
(mailto:)


Comentar post