Quarta-feira, 25 de Agosto de 2004

TEMPO

Muitas horas que perdi
Pouco tempo que vivi
De imediato a ternura
De quem acha o que procura
E o que procura não acha
Olhar de largura
Paz te dei
Momentos de ternura
Tempo com amor
É como viver e não saber
Chorar e não crer
Morrer e não pedir
Mas é só mais um dia
Ao que eu não queria
Porque escrever não sabia.


João Miranda
publicado por João Miranda às 01:34
link | favorito
De Anónimo a 27 de Agosto de 2004 às 01:04
Olá João, ao leres este comentários por certo saberás quem sou... Gostei muito deste teu poema... Tantas pessoas que como tu, estão cheias de carinho e de amor para dar, mas acabam por "viverpouco", ou se dar pouco tempo com a pessoa certa a quem dar, que acabam por perder pelo caminho todo o carinho e amor que traziam... BeijoVânia
</a>
(mailto:sssss@sapo.pt)


Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres